Novos Caminhos, Velhos Trilhos

janeiro 15, 2010

Haiti: O Diabo cobrou a conta?

Filed under: Teologia — sdusilek @ 1:30 am

Algo terrível aconteceu nessa semana nesse pequeno e sofrido país da região caribenha. Um terremoto de grande escala (7,0 graus) e de “longa” duração (cerca de 30 segundos) arrasou o mais pobre país da America Latina. Como se não bastassem os inumeros problemas daquela nação, agora se deparam com uma catástrofe de proporções épicas. Estima-se 100.000 mortos, sendo que toda a capital (Porto Principe) está destruída. Quando nem o palacio presidencial (reforçado para resistir a golpes militares) consegue se manter em pé num terremoto, voce pode imaginar o tamanho do estrago em outras estruturas de moradia e comércio cujo cuidado na construção, quando existente, era bem menor. De fato uma tragédia.

Soma-se a dor a falta de comunicação e de abastecimento. Pessoas andam errantes pelas ruas. Tem gente no Haiti que vivia abaixo da linha de pobreza que tem tido saudade daquele tempo de miserabilidade. Isso é de embrulhar o estômago de qualquer ser humano, até mesmo do mais insensível. As pessoas não têm onde dormir; não têm o que comer nem o que beber. Lutam por mantimentos como se fossem leões dividindo uma presa. Tudo é chocante no Haiti de hoje.

É verdade também que o Haiti é um país de intensa atividade religiosa satanista. A prática do VODU não é rara por lá. Mas daí dizer que o Diabo cobrou a conta ou que Deus puniu uma nação (como fez o Pr.Pat Robertson nos EUA) é demais.  É interessante como a explicação mística é o primeiro recurso usado por  muitos  para explicar uma tragédia. Nós voltamos a um período anterior ao pré-socrático. Período dos mitos… Guarde uma coisa: tragédia não se entende, se sente!

Deus não iria arregaçar com milhares de vidas porque há uma parte do pais praticando o VODU. Esse pensamento me soa como o Diabo conseguindo atingir pelo VODU ao Senhor. Isso é desprezar o nome e a honra de Deus. É como se o Inferno tivesse feito um bonequinho de Deus e espetado agulhas nele para que Ele reagisse… logicamente que isso nada tem haver com a Biblia.

Prefiro olhar esse momento não pela “ótica do destruidor”, mas pela visão do reedificador. Como Deus enxerga algo assim?

Penso que em primeiro lugar isso dói muito no coração dEle. O sofrimento humano e a morte doem no Senhor, antes de doerem em nós. Uma tragédia como essa entristece o coração de Deus. Uma vida miserável como aquele também. Um sistema injusto que faz com que alguns tenham tanto a menos de 2 horas dali em Miami, enquanto pessoas no Haiti não tenham nada, revolta o coração do Senhor. Tudo isso traz muita dor para todos que são dotados de amor!

Em segundo lugar Deus tem a perspectiva da reconstrução. Derrubar é conosco. Destruir é com o Diabo. Agora recomeçar… isso é com Deus. Creio que Deus está agindo na população mundial para que haja socorro aos flagelados. Creio que Deus está agindo nos governantes  para que se empenhem por ajudar. Quem sabe agora não levem a sério a ajuda ao Haiti, tornando-o de uma vez por todas um lugar digno? Infelizmente alguns lideres mundiais precisam de um motivo absurdo para se sensibilizarem…

Terceiro, Deus levanta Seu povo. Para mim, sabe para onde Deus está soprando sua vontade agora? Para o Haiti! Como seria bom ter um grupo de voluntários preparados para ajudar povos que acabaram de passar por uma catástrofe? Uma espécie de missionário itinerante mas sempre de prontidão para a qualquer momento ir… Nossos espoliados hoje estao especialmente (não unicamente – Lc.10) no Haiti. E o que fazemos? Vamos ao Templo… Se Cristo estivesse entre nós, de modo encarnado hoje, sabe para onde Ele iria? Para o Caribe, ministrar a essa multidão de Porto Príncipe que anda pelas ruas como ovelhas que não têm pastor. Iria multiplicar os paes e peixes para esses que estao tão famintos. Iria ministrar esperança vinda do Alto para gente que perdeu o motivo de viver e que vive debaixo de um estresse pós-traumático. Jesus curaria os enfermos. Jesus restituiria a alegria aos entristecidos.

Ah se Jesus resplandecesse em nós… Seria completamente diferente. Nós encarnaríamos o tipo de vida que Ele levou e iríamos ministrar àquele país que hoje clama a margem da geo-politica mundial: “Filho de Davi! Tem compaixão de mim”.

Portanto meu querido… se mexa! Quer saber como?

a) ore pelo Haiti;

b) peça a Deus para mandar gente corajosa, desprendida para lá agora! Depois que tá tudo reconstruído chega a ser um assinte ir.  Tão necessário quanto os engenheiros são os pastores e missionarios. Nao adianta reconstruir predios para catatonicos morarem. É preciso reconstruir a esperança!!!

c) se voce puder e Deus tocar no seu coração, faça uma doação. Transforme em gesto seu amor! Há uma séria e cristã entidade filantrópica chamada Visão Mundial (www.visaomundial.org.br/doe) que possui trabalho no Brasil, no Haiti e em mais 98 paises do mundo. Ela é um exemplo do que pode ser feito, da onde encaminhar sua doação pecuniária.

Sobretudo: torne-se instrumento do Consolo Divino!

Fraternalmente,

Pr.Sergio Dusilek

sdusilek@gmail.com

Anúncios

janeiro 4, 2010

PARA CONTINUAR É PRECISO DEIXAR!

Filed under: Estudos — sdusilek @ 9:30 am

Para continuar é preciso deixar!

Não sei se você já conheceu gente que parou no tempo e no espaço. A pessoa ia tão bem… de repente ela travou. Não consegue ir para frente. Não progride. Como uma “mula teimosa” (se você me permite essa digressão) fica empacado, sem conseguir sair do lugar. O ano de 2009 está acabando e a vida continua estacionada…

Quando voce vai procurar uma explicação para  isso acaba esbarrando numa dolorosa experiência de vida que não conseguiu ser vencida. Aquela dor continua sendo vivida, experimentada na mesma intensidade do primeiro momento em que a tragédia se abateu.

Poucas pessoas na Bíblia passaram por tanta dor e tragédia quanto José (Gen.37-50). Foi desprezado pelos próprios irmãos e injustamente vendido como escravo. Conhece alguém de sua família que pensa em “lucrar” com os próprios familiares? Assim eram os irmãos de José. Uma vez no Egito (lugar onde não queria estar), foi injustiçado de novo pela esposa de Potifar. Na cadeia foi injustiçado quando esquecido pelo copeiro a quem revelou o sonho de restituição de sua função. Tanta dor, tanta tragédia… o que fez com que ele continuasse? O que fez com que ele progredisse? Sim, porque em todo lugar que ele passava, ele prosperava.

1) Deus era com ELE (39:2) – Deus não estava só com José; o Senhor era com ele. José, ao invés de alijar Deus da sua vida após tanta injustiça e dor, se “MISTUROU” com ELE. E quando alguém está juntinho de Deus a vida continua, porque o Consolador nos dá força para prosseguir.

2) José deixou coisas para trás (41:51) – Paulo também fez isso (Fl.3:13-14). O nome Manassés quer dizer esquecimento. Há coisas que não se esquecem, mas que também não precisam ser lembradas. Se você quer prosseguir é preciso deixar coisas para trás. Ninguém consegue andar para frente olhando para trás. Não foi isso que ocorreu com a mulher de Ló (19:26)? Pessoas paralisadas se dissolvem no tempo…] 

3) José olhou para frente (41:52) – Efraim significa prosperar. Deus tem para voce experiências boas, ainda que voce viva na terra da sua aflição. O melhor do Senhor ainda está por vir (Jo.16:33). José tocou a vida para frente. Não era o que ele planejara, mas Deus tinha o controle da sua vida. Foi ele o instrumento de provisão numa época de intensa fome. Deus fez com que sua influência atingisse todo o Egito e transbordasse para as demais terras. Ele olhou para frente. José prosseguiu, continuou.

Que nesse final de 2009 voce se desprenda do que tem impedido sua vida de prosseguir. Para que em 2010 sua vida vá adiante, para um nível e estágio que, como José, nunca pensara em atingir. Que nasça no seu coração dois filhos dados por Deus: Manassés e Efraim.

Pr.Sergio Dusilek

sdusilek@gmail.com

MISSAO INTEGRAL – ESTAO ACABANDO COM ELA AQUI NO BRASIL

Filed under: Liderança — sdusilek @ 2:43 am

Um dos poucos redutos de uma teologia sadia e saudável está ruindo. Trata-se da Missão Integral. A Missão Integral é o resultado de uma busca sincera e um retorno ao modelo ministerial deixado por Jesus. Nem um evangelho social que preconizava somente o atendimento das necessidades sociais (Walter Raschenbush, 1916), nem tampouco aquele evangelho acadêmico, desconectado da realidade e das necessidades do mundo, fruto do racionalismo filosófico do século XIX. Um resgate puro e simples da vida de Jesus. Um desejo autentico de reproduzir os passos do Mestre.

Sua formulação mais conhecida é “o evangelho todo para o homem todo”. Seu primeiro encontro Conciliar foi traduzido pelo PActo de Lausanne em 1974. Com Ele vem o desejo de expansão do Reino, não necessariamente da Igreja. Isso porque muitas vezes a igreja não acompanha o que é o Reino. E com a visão do Reino vem o alargamento da percepção que a luta deve ser contra o sistema e não somente centrada na salvação de almas. É a busca por um evangelho encarnado, transformador, redentor de uma realidade. Isso porque há sistemas inteiros escravizando milhões de pessoas debaixo da tirania do Diabo. Ser cristão integral portanto não é dormir na igreja todo dia. É adotar uma postura de luta contra esses sistemas injustos que existem. É propagar algo do tamanho de Deus: o Seu Reino!

Por tentar reproduzir o modelo de ação de Jesus, os líderes que envolvidos estão nesse grupo normalmente são um reduto ético. No momento em que se ouve tanta besteira sobre tantos líderes no país, saber que há um reduto que preza pela integridade pessoal é um alívio. Eu chamaria até de um Oásis.

Gente que tem cheiro de povo, que anda no meio das pessoas. Gente que procura desdizer esse modelo ministerial que se implantou no Brasil: personalista-despersonalizado. Personalista porque líderes se ufanam como sendo os detentores da verdade, do saber, da intimidade com Deus e dos oráculos divinos; despersonalizado porque ele é construído por algo não pessoal que são os métodos de crescimento de igreja. Qual era o método de Jesus? Não o vejo com métodos, mas sim com princípios de ação. E para quem acha que ele era personalista… veja os apóstolos em ação após o Pentecostes. 

Pois é: justamente essa coisa tão boa é que estão destruindo no Brasil. E isso através de 3 ondas.

A primeira foi da questão da santidade pessoal. Alguns dos maiores líderes e representantes desse movimento “acabaram pecando”. Gente com uma vida íntegra mas que teve uma mancha em algum momento. Certamente que isso gerou um certo abalo na credibilidade dos líderes que se reuniam em torno da Missão Integral.  Mas interessante é que dois desses lideres apontaram seus erros. Eles se denunciaram. Até quando erraram foram homens e crentes. Ao contrário de muitos que existem por ai…

A segunda onda foi a da falta de Graça. Esse grupo sempre apregoou a mensagem da Graça. Sempre se propôs a viver com a Graça e em Graça. Mas quando alguns dos líderes caíram, foram tratados a “ferro e fogo” e não com Graça por muitos desses “graciosos líderes”. Eles (os que erraram e assumiram/expuseram seu erro) foram abandonados. Contudo manifestações concretas da Graça foram  encontradas em parte da liderança. Por isso que conversar com um Carlos Queiroz é tão cativante. Por isso que entrevistar Manfred Grellert é tão instigante. O que não dizer de ouvir Caio Fabio, ou ler textos de Darci Dusilek (falecido pai)… é gente que vive  (ou viveu) a Graça de Deus. Mas aconteceu algo que manchou esta história e da qual eu me envergonho porque estava lá.

Por volta do ano 2001/2002 (se não estou enganado na data) foi marcada uma reunião em Sumare-SP para planejamento do CBE-2 (segundo congresso brasileiro de evangelização), o qual foi realizado em Novembro de 2002 no SESC Venda Nova-MG. Na época na JUMOC (Junta de Mocidade da Convenção Batista Brasileira) fui convocado para esta reunião. E duas coisas muito me marcaram lá: a) passei muito mal a ponto de procurar um hospital (mas acho até hoje que foi algo que comi em Palmas-Tocantins, da onde estava vindo); b) a falta de Graça com que foi tratado o pai do Pr.Caio Fabio.

Houve um momento daquele encontro que foi se estabelecer um conselho consultivo para o congresso. Daí foram indicados nomes e entre eles o do Rev.Caio Fabio, pai do Pr.Caio Fabio. Na mesma hora houve uma reação de repulsa e negativa de parte dos líderes que ali estavam. Penalizaram o pai por conta do que não concordaram do filho. Nem a cultura judaica foi tão cruel. Para os judeus os pais comiam uvas verdes (pecavam) e era a boca dos filhos que embotava (os filhos sofriam as consequencias – veja o profeta Jeremias). E quem agiu assim de modo mais agressivo foram aqueles que mais aproveitaram a “sombra” ministerial do Caio Filho.  Essa falta de Graça de gente que proclama a Graça foi dura demais. Me envergonho de não ter peitado aqueles lideres na hora. Me envergonho de não ter defendido, naquele momento, aquilo que creio. E já expus essa vergonha pessoalmente ao Pr.Caio Fabio (o filho) pedindo-lhe perdão por isso.

Quebra na integridade/santidade, resgate da Lei e abolição da Graça… a única coisa que estava faltando era a venda. Sim, o caráter mercantil no evangelho.  A mercantilização começou com o uso daqueles que eram mais proeminentes. Agora parece que passou a questão do recurso financeiro. É não falta mais a venda. Compraram a “missão integral”. 

Alguns dos principais líderes da Igreja no Brasil,  notadamente adeptos da Missão Integral e da busca pela coerencia de vida, estão se “prostituindo”. Igrejas bonitas, pomposas, abastadas, mas com líderes tirânicos, de conduta moral reprovada, tem se constituindo os novos parceiros ministeriais desses líderes. Os novos amigos são os “velhos amigos do mundo” ou do Diabo. E isso está acontecendo do Norte ao Sul do país.

Gente que não sabe nem o que é Missão Integral; gente que não ama nem missões porque do bolso não sai nenhum recurso para o campo (quanto mais missao integral…); gente que nao tem cheiro do povo, nem da classe média, muito menos ainda dos pobres; é esse tipo de gente que tem ganho guarida na “liderança” da Missão Integral. Fiquei sabendo esses dias que o 3o Lausanne que será na Africa do Sul no ano que vem (o segundo foi na década de 80 em Manilla, Filipinas) tem credenciado gente que tá mais para o movimento neopentecostal do que qualquer outra coisa. Mas isso em nome das “parcerias”…

Percebe como estão acabando com a Missão Integral no Brasil? A única coisa sã no campo da teologia ministerial está sendo corrompida. Por isso não creio nesses congressos que lutam pela igreja mas que vendem seus valores por uma boa parceria, nem nesses encontros com essa liderança que deixou de viver a Graça e agora assumiu uma postura sacerdotal (compactuação com o erro vigente). Se você está pensando em ir  a algo assim, desista. Fique em casa. Leia um bom livro. Gaste um tempo em oração. Fazer isso vai valer muito mais a pena. Ir nesse tipo de evento que circule preletores que não os que citei aqui… creia em mim… é perda de tempo.

ONDE VAMOS PARAR? Não sei. Mas não pare nesse tipo de evento da Missão Integral. Estão acabando com ela aqui no Brasil.

Com tristeza,

Pr.Sergio Dusilek

sdusilek@gmail.com

Perpetuação… isso é sinal de integridade?

Filed under: Liderança — sdusilek @ 1:13 am

O ano de 2009 foi significativo para o nosso país. Nossa divida interna foi para o espaço sideral (de tanto que cresceu!) e nossa divida externa foi para ou hiperespaço (sumiu!). Quem poderia pensar isso há um tempo atrás?  Nosso presidente, esse mesmo que não gosta de trabalhar mas que surfa como ninguém (se não fosse um tremendo surfista nao aproveitaria essa onda mundial que tem tanto beneficiado o pais), tem sido apontado como um dos grandes líderes mundiais… É, tenho que admitir:  John Maxwell está cada vez mais atual… a carência de líderes é gigantesca.

 No senado, no “planalto central”, escandalo sobre escandalo. Um Sarney que mesmo com tantas provas, permanece. Um Arruda que vai permanecendo com “galhinhos/folhas” que levam seu nome, ou mesmo com seu correspondente evangélico (não cristão) da oração de gratidão pela corrupção e de proteção ao corruptor…

A questão que se apresenta aqui é: seria a continuidade um sinal de integridade, de acerto moral, de comprovação  cabal de padecimento de uma perseguição injusta? Seria correto pensar que alguém resiste num cargo por conta de sua integridade?

Fato é que líderes permanecem por conta de seu exemplo, de sua conduta irrepreensível, de sua moral elevada. Mas nem todos os líderes que estão no poder, seja ele politico, social, economico ou eclesial, se perpetuam pela sua índole irretocada. Na verdade muitos se perpetuam pelas maquinações e acertos que fazem.

Acabe foi um dos piores reis de Israel (I Reis 16:29). Mas mesmo assim reinou por 22 anos (será que isso se cumprirá nos dias de hoje?)… um longo tempo de sofrimento para um povo. Contudo Deus nao deixou que ele reinasse por todo um periodo de tempo, tido normalmente como um prazo de 40 anos. Quem viveu naquele periodo do reinado de Acabe pode ter começado a pensar que o rei estava certo. Certo no culto a Baal, certo no casamento com Jezabel, certo na perseguição aos profetas do Senhor. Mas quem anda com Deus sabe o que está errado e que por vezes tem de ficar recluso, no seu canto e não nos palácios (I Reis 19). Quem teme a Deus não pode andar com Acabe.

Por isso não vejo temor naquele homem que orou com o “Durval” em Brasilia. Também não vejo temor em alguém que apoie Sarney. Certos tipos de “sarna” são realmente dificeis de sair. Triste é entrar no  novo ano com essa herança moral pesada de 2009. Triste é saber que isso não está restrito a política.

De fato, integridade nada tem a ver com permanência no poder. E quem faz uso desse tipo de argumento, creia: tá todo enrolado em seu processo de desintegração.

Pense nisso!

Pr.Sergio Dusilek

sdusilek@gmail.com

Blog no WordPress.com.