Novos Caminhos, Velhos Trilhos

agosto 16, 2012

O QUE CABE A NÓS!

Filed under: Liderança — sdusilek @ 1:20 am

O QUE CABE A NÓS!

Dos muitos testemunhos sobre o saudoso Pr.José dos Reis Pereira destaca-se o registro de sua visão de plantação de igrejas. Para quem não sabe, Pr.Reis foi o homem que Deus usou ainda no início da década de 70 para comprar os dois lotes naquilo que seria a futura primeira sede da PIB do Recreio. Quando aquela igreja começou, já tinha propriedade. A história registra que esse mesmo homem evitou a tentação de se fazer uma mega-igreja. Ao contrário, a cada crescimento, desafiava os irmãos de sua membresia a plantarem igrejas em bairros sem o trabalho batista. Várias igrejas nasceram no campo carioca a partir dessa visão. Os mais pessimistas estimam pelo menos 10. Fato é que conquanto a então Igreja Batista do Rocha tenha crescido, ela não se tornou MEGA, por conta de uma saudável visão.

Sem nenhum resquício de uma possível fixação pastoral por esse tema, quero chamar sua atenção para a questão do crescimento da igreja. E para tanto queria apresentar algumas verdades para sua reflexão (I Cor.3:1-15):

1-A Igreja pode não querer ser grande, mas deverá crescer. Perceba: não cabe a nós limitar ou crescimento de uma igreja. Crescimento cabe a Deus. É Ele quem o dá. Não somos nós quem o determinamos. Podemos atrapalhar, mas não há como ajudar se tal ação está contida na esfera divina. Portanto cabe a nós definirmos que projeto de igreja queremos ser: MEGA? De Médio porte (como temos falado desde o início)? Porque se não queremos ser grandes, nosso crescimento traduzir-se-á num transbordamento que ocasionará a plantação de novas Igrejas Batistas.

2-O ritmo do crescimento é de Deus (como bem diz o Pr.Eberson), mas a profundidade é nossa. Não adianta, como já dizia o José Geraldo Carvalho (membro da CBRIO) ser uma igreja grande formada de crentes pequenos. Uma vez que o ritmo do crescimento é dado por Deus cabe a nós buscarmos profundidade. Paulo fala que teve que dar aos Coríntios “leite espiritual”. Eles eram rasos. Tem que haver em nós desejo por profundidade. Querer conhecer, estudar e meditar na Palavra.

Paulo fala também de carnalidade (v.2-3). Isso é imaturidade espiritual e relacional. Não cabe a nós nos fecharmos em grupo e guetos. Cabe o desejo de nos aprofundarmos, de sermos AMIGOS de todos que se apresentarem para construir conosco sólidos relacionamentos. Se o ritmo é de Deus, lembre-se, cabe a nós buscarmos a profundidade bíblica e relacional.

3-Nenhuma Igreja cresce se não estiver preparada para crescer (como dizia em sala de aula o Pr.Falcão Sobrinho). O crescimento, que no texto de Coríntios se assemelha a noção da chuva que irriga a terra para a colheita, cabe a Deus como destacamos anteriormente. Mas o plantio, o trabalho (v.8), cabem a nós. Isso implica dizer que por vezes nossa igreja não cresce o que poderia crescer (embora mesmo assim esteja crescendo) por ausência de maior envolvimento nosso. Cabe a nós o trabalho, o envolver-se, a preparação para a “chuva”. Só para que você reflita: você já faz parte de algum ministério? Você tem se empenhado em falar de Jesus para aqueles que não O conhecem? Você já se envolveu em algum grupo de comunhão?

No momento em que meditava e orava sobre esse “Maná da 2ª”, nossa Igreja obteve um retorno esperado e pelo qual estávamos orando: foi-nos disponibilizado o espaço do Centro de Convenções do O2 para que tenhamos TAMBÉM o culto pela manhã. Ao passo que damos Glória e Honra a Jesus por essa vitória, cabe a nós o envolvimento e preparação para essa nova fase da vida da nossa igreja. Precisaremos de mais gente na recepção, de gente no ministério infantil, de irmãos ajudando na tesouraria (contagem), na música, no datashow, entre tantas outras áreas. Portanto, ore! Se envolva! E deixe o Senhor lhe usar no nosso meio!

Que Deus abençoe sua semana!!!

Com Carinho,

Pr.Sergio Dusilek

Anúncios

agosto 13, 2012

PRAZO DE VALIDADE

Filed under: Estudos — sdusilek @ 6:32 pm

Alguns anos atrás tive uma experiência inusitada. Acordei de madrugada com meu olho esquerdo coçando muito. Fui a caixa de remédios, peguei um colírio “basicão” que lá estava e pinguei no olho. Sentei na sala para esperar a coceira passar. Cerca de 30 minutos após, comecei a perceber que estava com dificuldade para ver… quando olhei no espelho, que surpresa! Parecia que tinha uma bola de ping-pong embaixo do meu olho. Diagnóstico: meu colírio estava vencido!!! Seu prazo de validade tinha terminado.

Há coisas que precisam ser descartadas. Afinal o prazo de validade venceu. Não falo só de produtos perecíveis, mas de relacionamentos que perecem. Há amizades que não são para sempre. Há relacionamentos fraternos que tem prazo de validade. Isso ocorre quando nos é revelado quem de fato é a pessoa que ainda assim tenta se esconder, se esquivar da realidade. Quando descobrimos quem é o outro sem que esse se assuma como tal, vislumbramos que naquele dia se encerraria o prazo de validade daquele contato.

Não só amizades tem prazo de validade. Casamentos, que existem para serem perenes, por vezes possuem essa chancela no seu invólucro. Estou dizendo aqui que há enlaces que são “laços”(Sl.31.4;124:7). É certo que nenhum casamento se processa com a garantia da perpetuidade. Mas também é possível ver que muitos matrimônios possuem um prazo de validade no tempo de namoro. Insistir num projeto desse é adiar o inevitável.

Isto posto queria sugerir para sua reflexão:

1) Tenha você olhos bem abertos para “pular” fora de relacionamentos (namoro, amizade, trabalho) que possuem prazo de validade estampados no rótulo. Um dia a mais com esse tipo de gente azedará suas narinas;

2) Não seja você a pessoa a ostentar prazo de validade. Lute pelos relacionamentos até que se perceba que não há mais jeito e que Deus, por algum Soberano motivo, não deu jeito. Quem sabe até o jeito não seja cada um no seu? Se alguém tiver tempo de perecebilidade estampado na face que não seja você.

3) Se perceber que as circunstâncias estão muito quentes e afloradas, use um pouco o congelador. Há momentos em que as coisas precisam ser esfriadas para não estragarem;

4) Por mais difícil que esteja um relacionamento, persevere enquanto você notar que as partes têm bom coração e estão querendo acertar. Porque se por um acaso estiver com o “homem mau”, a ordem é saia o quanto antes!

5) Jamais deixe que seu relacionamento com Deus tenha um prazo de validade, autenticado pelas respostas favoráveis ou não do Senhor. Amor envolve permanência (I Cor.13) e para um relacionamento repleto de Amor que Deus nos chamou.

6) Não permita que seu vínculo com a igreja tenha prazo de validade. Tem gente que, sem Deus mandar, passa de uma igreja a outra ao sinal do menor aborrecimento. Preste bem atenção: Igreja é composta de gente! E vamos ter chateações por conta disso. Ora via decepção, ora via frustração. Mas Deus plantou você aqui para que juntos superemos as nossas diferenças. E como fazemos isso? Através da admoestação, da conversa, do “toque” que damos no outro (Heb.10:25). Volto a dizer: se há alguém cuja índole seja eminentemente má, pouco se pode fazer, principalmente se estiver imbuído de liderança. Mas se o coração de todos é bom (e considero nossa igreja privilegiada nesse sentido) que não sejam os percalços do caminho a nos separar! Que a misericórdia triunfe! (Tg.2.13b)

Com o desejo renovado de andar com vocês,

Pr.Sergio Dusilek

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.