Novos Caminhos, Velhos Trilhos

novembro 12, 2015

O poder da tempestade (Mc.4:35-41)

Filed under: Sem categoria — sdusilek @ 10:19 am

Uma boa tempestade é por definição aquela que se abate com força sobre nós, com muita água e vento, e de modo repentino. Tempestade que nos pega na segurança de nossa casa é chuva forte. Agora, quando nos pega desprevenidos na rua… Me lembro de Janeiro de 1996. Estava trabalhando e quando olho pela janela, o céu tinha enegrecido e logo a seguir “as comportas do céu” foram abertas. Isso era por volta das 17.00hs. Às 21.00hs tentei voltar para casa. Depois de 1 hora e meia e ter andado dois quarteirões fazendo um quadrado retornei. Dormi no chão do escritório, não sem antes comprar um pão com carne assada (acho que era do século XIX) do boteco pé sujo de um patrício que tinha no térreo do prédio. Dia seguinte, ainda as 09:00hs era impossível transitar no Rio. Tudo parado. Nunca mais esqueci daquela tempestade. O que fazer nessa hora de alvoroço da alma?

  • Relaxe porque você vai se molhar. Há gente que ao ser pego pela tempestade ainda acha que é possível passar incólume por ela. Pensa que o guarda-chuva pode preservar sua sequidão… o que são nossos guarda-chuvas nos instantes de muito vento e água? Relaxe, porque esse efeito colateral será seu.
  • Reconheça que não há estrutura que esteja completamente preparada para uma grande e repentina tempestade. Voce pode entrar numa loja comercial. Mas pode acabar a luz. Você pode correr da tempestade para o carro, mas pode vir o granizo (Ex: eu e a Mercedez na Raposo Tavares). Há estruturas que nos ajudam a atravessar uma tempestade, mas não sem que soframos algum tipo de abalo e conseqüência. Na tempestade somos açoitados, mais do que por ondas (Mc.4:37), por sentimentos e sensações. Os ventos da dúvida (será que vamos sair dessa?) e as muitas águas do medo (há esperança para mim, para ele?) acabam mimetizando a tempestade só que pelo lado de dentro. Nossas estruturas, sejam elas barcos, conhecimento do mar e de navegação, podem nos ajudar mas não nos livram da tempestade. Aliás, quando a vida nos açoita é que percebemos quão frágeis são as nossas estruturas, os nossos barcos.
  • Recorra as palavras de Jesus. Foi Ele quem salvou os discípulos da morte (4:39). Foram as palavras dEle que salvaram Jairo do desespero (Mc.5:36). A palavra de Jesus ou nos livra da tempestade ou nos dá raiz, fundação para suportá-la (Mt.7:24-27). E aí entra uma questão: como ter acesso as Palavras de Jesus, como o Espirito vai nos lembrar delas, se não a lemos, nem a ouvimos porque faltamos os cultos?
  • Por fim, saiba que a vida apresenta para nós dois convites diante das mesmas situações, das mesmas tempestades: descanso ou desespero. A tempestade era a mesma, o barco era o mesmo. Mas os discípulos desesperaram (v.38) e Jesus descansou. Sim, é possível descansar em meio a mais terrível tempestade. Os técnicos, os profissionais entregaram os pontos; o desespero atingiu a todos? É possível manter a serenidade que vem da firmeza que Cristo nos dá. As lágrimas descem na mesma proporção que nosso coração é preenchido pela paz que excede a todo entendimento.

Que você tenha Jesus sempre ao seu alcance. Não que Ele não esteja; mas que você o perceba perto de você. E que se apegue as Palavras dEle para enfrentar as tempestades da vida. Sejam essas palavras as que lê na sua Bíblia, seja as que ouve de pessoas amadas ou que merecem respeito.

1 Comentário »

  1. Tenho passado por uma verdadeira tempestade em minha saúde e sua reflexão é perfeita. Não tive como deixar de me molhar, ou seja, não tive opção no sentido de não ter a doença. Por melhor que seja a estrutura do hospital, amigos e principalmente familiar… vai nos ajudar, mas não impedirá que fiquemos fora da tempestade. Ter como base a Palavra de Deus é tudo, e finalmente escolher não se desesperar. Assim tenho atravessado, escolhendo não entrar em desespero. E graças a Deus tenho vivido isso com minha amada esposa. Há quem nos cobre não estarmos desesperados, afinal uma leucemia não é uma simples gripe. Mas temos passado essa tempestade ao lado de Jesus, a força vem do alto. Temos vivido a mesma experiência de Paulo: “quando estou fraco, então é que sou forte (2 Cor 12:10)”.

    Comentário por Ito Siqueira — novembro 22, 2015 @ 1:19 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: