Novos Caminhos, Velhos Trilhos

março 28, 2013

Buscando aquele que ficou perdido

Filed under: Sem categoria — sdusilek @ 5:32 pm

Achar alguém que está perdido ficou normal. Cresce o número de pessoas que em situações corriqueiras (andando de van) ou inusitadas (sendo assaltadas), acabam se deparando com alguém que em algum momento pertenceu ao povo de Deus. Segundo uma pesquisa divulgada pela Revista Enfoque, estima-se que no Brasil já sejam cerca de 40 milhões de desviados. É como se para cada membro ativo da igreja tivesse um excluído.

Na época de Jesus havia de igual modo inúmeros pecadores. Gente que era do povo de Deus, mas que agora andava à margem da comunhão. E a volta sempre era mais difícil, porque se creditava ao perdido todo o trabalho do retorno. No judaísmo de então, não havia busca pelo afastado. Jesus vem dizer que Deus era bem diferente daquela ausência de prática religiosa… Deus vai ao encontro, atrás daquele que está afastado. As vezes, vendo essas estatísticas, fico pensando se as igrejas não têm mais a cara do judaísmo do que de outra coisa…

Fato é que Jesus contou a parábola da ovelha perdida para falar ao coração daqueles pecadores que estavam afastados do Pastor. E eles estavam entendendo perfeitamente o que o Mestre dizia, pois sabiam e relembravam as muitas vezes em que Deus se apresentou como o Pastor de Israel no Velho Testamento.

Vamos a algumas lições?

1.                   As prioridades do Reino são diferentes das nossas.

Não há uma igreja que em sã consciência discordaria de uma busca pelos afastados. Pelo menos não no discurso. Mas quantas de fato se envolvem com isso?

Não há também uma celebração digna pela volta (v.7). Celebramos os novos, mas não o retorno dos perdidos. Investimos naqueles que dão batismo; contudo, pouco fazemos por aqueles que já foram batizados. De fato nossas prioridades destoam das do Reino.

Deus não está satisfeito com esse crescente e exorbitante número de perdidos. E Ele como Sumo Pastor não se deixa impressionar por um fenômeno aparente que acompanha a vida de muitas igrejas: a rotatividade eclesial. Esse fenômeno de mercado (jamais do Reino de Deus!) que faz com que a igreja uma vez sempre cheia, dê a impressão de que está todo mundo ali, acaba atrapalhando qualquer acompanhamento pastoral. Aliás, diga-se de passagem, que a prioridade para quem valoriza isso são os freqüentadores, enquanto o Senhor visa os discípulos.

Quais são as suas prioridades? E as da sua igreja? Às vezes, ser fiel a Deus é andar na contramão da toada religiosa… Não era isso que Cristo fazia ali, naquele momento em que proferiu essa parábola? Afinal, com quem sua igreja quer se parecer? Com o Senhor ou com aquilo que é preconizado pela religiosidade vigente?

2.                   Ovelhas se perdem no caminho do deserto

Você reparou onde as 99 ovelhas foram deixadas? No deserto. Provavelmente o pastor as estaria conduzindo para uma nova e melhor pastagem. As ovelhas possuem a característica de “sugarem” as pastagens. Isso obriga o pastor a ter de fazer um movimento migratório com elas em busca de melhores e verdes pastos (Sl.23:2). Justamente nesse trajeto é que uma das ovelhas se perde.

Por que se perder quando se dirige ao deserto? Porque deserto é local de provação. Deserto, na linguagem bíblica é local de teste. É local de privação, de ausência, de dificuldade, e por vezes, de sofrimento. É local de duras revelações, porque no deserto fica patente quem somos nós e que tipo de relacionamento temos com quem nos cerca e com Deus. Entretanto, muitas ovelhas esquecem que o deserto é local de passagem, que à frente dele está Canaã, e que ele não vai durar uma eternidade. Não se lembram que as promessas de Deus não falam para nós em deserto… (Gen.12:1-4; Jer.29:11-14a; Is.64:4 e I Cor.2:9).

Ovelha que não confia totalmente no seu Pastor, que não o ama profundamente, que não tem um relacionamento profundo com Ele, quando vê o prenúncio do deserto, costuma desistir. Ao invés de se fortalecer no Senhor, acaba abrindo flancos/brechas para o pecado.

Parte desse problema está no discurso triunfalista de muitos que apregoa uma “vida de vitória e abençoada” para as ovelhas. Quando essas se deparam com o deserto experimentam um colapso da “sua forma de fé” e desistem. Mas o fato é que o Pastor é quem conduz as ovelhas para o deserto. Não foi o Espírito quem conduziu Jesus, após ser batizado, para ser tentado no deserto (Mt.4:1)? Há ovelhas que desistem quando enxergam o deserto. Há outras que se prostram no deserto, não resistindo á tentação.  Parece até que o tempo mais comum de deserto na vida do crente é logo após seu batismo… não foi nessa época que você se sentiu mais suscetível ao pecado, parecendo que o Pastor estava distante? Mas ainda que você se sinta assim, saiba que o Pastor está de olho em você. Ele lhe gravou na palma de suas mãos (Is.49:15)! É Ele mesmo quem nota sua falta no grupo e é o Senhor quem vai atrás da ovelha que se perdeu.

Ir para o deserto guiado pelo Pastor é coisa de ovelha. Deus quer aprofundar sua experiência com Ele. Deus quer que você entenda o que Jó disse no final de sua vida (Jó 42:5). Deus quer que você tenha o rosto iluminado (Salmo 34:5). E o Senhor não vai abrir mão de seu instrumento pedagógico favorito (deserto) para falar a você.

Se o deserto chegou para você, saiba que Deus o conduziu até aí. E lembre-se que há pastagens novas, melhores, níveis mais profundos de intimidade com o Senhor para o qual Ele quer levá-lo.

CONCLUSAO

Fica para nós uma pergunta: quem afinal está perdido? O Mundo. No entanto a parábola da ovelha perdida nos alerta para gente que fazia parte do povo de Deus e que se perdera. Gente que deixou de andar na companhia do Pastor (João 10) e que por isso acabou se perdendo.

É bem possível que o Espírito Santo esteja trazendo a sua memória agora nomes de pessoas que hoje estão afastadas da Igreja. Gente que foi extremamente usada por Deus, mas que agora está largada no imenso deserto espiritual e emocional que é esse mundo. Não despreze isso. Deus não está fazendo isso por um acaso. Ele está lhe convidando a fazer parte daquilo que foi a tônica do ministério de Jesus: “buscar e salvar o que estava perdido” (Lc.19:10/Mt.18:4/Lc.5:31).

Sabe o que mais? Quem busca o perdido está em rota de aproximação com Jesus. A parábola mostra o Pastor deixando uma reunião de ovelhas e indo atrás da que estava perdida. Confesso que aqui paira uma profunda indagação: seria esse um dos motivos pelos quais algumas celebrações/cultos são tão sem a presença de Jesus? Igrejas que expurgam as ovelhas perdidas, as mesmas as quais o próprio Senhor está buscando (v.4)?

Queria terminar com um desafio de Deus para o seu coração. Ouse dar valor aquilo que move o coração do Bom Pastor. Ore, ligue, converse com gente que você tem contato e bom trânsito e que se perdeu ao ver, ou ao entrar no deserto. Ouse seguir a Jesus – Ele está reunindo Seu rebanho.

Pr.Sergio Dusilek

IGREJA BATISTA MARAPENDI

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: