Novos Caminhos, Velhos Trilhos

fevereiro 8, 2011

UMA CRUZ NO CAMINHO DE JESUS

Filed under: Estudos — sdusilek @ 10:17 am

TEXTOS :     Texto Bíblico: Mt.27:33-56;

Leituras Diárias: a)Heb.4:14-16, 12:18-29; b)Sl.22; c)IPe.2:20-25, Gl.3:13; d)Mt.27:33-56; e)Lc.23:26-43;

f)Jo.19:17-37; g)Jo.3:13-16   ///    Texto Básico: Mt.27:33-56   ///    Texto Áureo: Mt.27:51;

Introdução

Há pouco tempo atrás o mundo ficou estarrecido com o filme de Mel Gibson sobre a Paixão de Cristo. Pessoas se sentiram mal ao ver tamanho sofrimento projetado nas telas de cinema. Pois pasme: o que Jesus sofreu foi dali para pior. Is.53 e Mt.27:26 apontam um Jesus que foi dilacerado, que sofreu flagelos e açoites antes mesmo da cruz. Na verdade ele passou uma noite inteira sendo torturado.

A-ERA MESMO NECESSÁRIA A CRUZ?

Talvez você esteja se perguntando se era possível ter algo diferente para Jesus, que não a cruz. A Palavra nos assevera que não tinha outra alternativa. A Justiça de Deus requeria a pior e mais vergonhosa condenação para que fosse satisfeita em virtude do pecado humano. Sim, como bem disse John Stott, não foram nem os romanos, nem os judeus, nem mesmo Judas Iscariotes que matou Jesus. Eu, você, e todos os demais seres humanos somos responsáveis pela morte do Mestre, porque pecamos (Rm.3:23, 5:8, 6:23).

 

Jesus assumiu a o nosso lugar na cruz. No dizer bíblico ele “se fez pecado por nós”. Daí a figura substitutiva de Cristo na qualidade de Messias que era. Pecado gera morte e ela, no plano espiritual, só pode ser reparada com outra morte (Heb.9:22). Novamente entra a figura do Cordeiro que nos remete ao sangue inocente vertido para que a culpa e o pecado pudessem ser expiados. Tais idéias podem parecer estranhas para nós que estamos no séc.XXI, mas elas estão presentes no arquétipo humano. Em todas as culturas, com suas religiões, há a presença do inocente, do “cordeiro”. Isso porque o ser humano tem um sério problema com o pecado e com a culpa.

 

A cruz era necessária porque não temos como nos salvar (I Reis 8:46, Ef.2:8-10). Só há um caminho para nós que é o caminho da Graça.

B-QUAL É A MENSAGEM DA CRUZ?

A cruz de Cristo anuncia para nós grandiosas coisas a respeito de Deus. Temos um Deus que nos ama com tão profundo amor que ele finca esse amor na terra com a cruz na qual Jesus morreu. Não é um amor teórico, mas um amor profundo (Jo.3:16). E esse amor não quer só ser fincado na terra (como o foi no Gólgota), como também em cada coração humano.

 

A cruz aponta para um Deus que quer reconciliação (II Cor.5:17-21). De um Deus que anseia por proximidade e intimidade com Ele (Mt.27:51). Prova disso foi o véu ter sido rasgado de alto a baixo. Agora preste bem atenção: este véu do Templo, que separava o santo lugar do Santo dos Santos não era como um  véu de noiva. Antes pelo contrário, era um véu com cerca de 7 cm de espessura, num tecido grosso e que alguns defendem como sobreposto um ao outro. Não tinha como ele ser rasgado, há não ser por uma ação deliberada. E esta ação deliberada foi de Deus: Ele é quem decidiu rasgar o véu. Por isso que foi de cima para baixo.

 

Agora não é preciso o sumo-sacerdote esperar 1 ano para entrar no santo dos santos. Nós, como Filhos de Deus, podemos estar continuamente em intimidade com Ele. Somos instados a entrar com ousadia (Heb.10:19) na presença do Deus Todo-Poderoso. Não precisamos mais de sacerdotes/padres para fazer qualquer intermediação. Jesus se tornou nosso único e perfeito Mediador (ITm 2:5, Mt.11:27, IJo5:11-12). Não precisamos buscar oração “forte” de quem quer que seja. Isso porque a única oração forte que existe é a que é feita ao Pai, com todo o nosso coração, em nome do Filho e pelo intermédio/tradução do Espírito. Nossos pastores não são nossos mediadores diante de Deus. Eles devem ser vistos como nossos líderes, nossos referenciais, nossos conselheiros e profetas (porque nos instruem na Palavra). A única dimensão exclusivamente  sacerdotal que os pastores ainda  possuem é o da condução da adoração e dos cultos, levando o povo até “a sala do trono”. Por que então você não busca essa intimidade com o Pai? Está esperando o que?

C-QUE RESPOSTA POSSO DAR A CRUZ?

Na cena da crucificação, alguns personagens tipificam as respostas que podemos dar ao amor de Jesus revelado na cruz do calvário.

 

Você pode ser como os soldados (v.35) que chegam perto do Evangelho para espoliá-lo. Gente que se aproxima de Jesus com interesses outros, que não o amor de Deus. Gente que só quer receber. Os soldados tiraram a capa do mestre e a sortearam entre si. Pessoas assim jamais se doam, e têm um coração fechado para Deus.

 

Você pode ser como a multidão que era conduzida(em termos ideários) pelos fariseus. Gente que zomba do evangelho, que o ignora e o despreza. Mas que se esquece que esse pecado, a da blasfêmia contra o Espírito, isto é, negar a obra do Espírito Santo, tem endereço certo para o Inferno (Mt.12:31). Junta-se a eles um dos ladrões que, merecidamente na cruz, também zombou de Jesus (Lc.23:39).

 

Ou você pode ser um confessor da cruz. Nesse caso temos o centurião (v.54) e o outro ladrão (Lc.23:40-42). Gente que quando olhou para a cruz de Jesus reconheceu que Ele era o Filho de Deus, nome esse que representa um título messiânico, que por sua vez significa que reconheciam que Jesus era o Cristo, o Messias prometido.

CONCLUSAO

A cruz de Jesus é um divisor, não só em termos de eternidade (quem crê será salvo e quem não crê já está condenado (Jo.3:18)), mas também na opção para se viver com Ele ou não nesta vida. Diante da cruz, não há indiferença, nem tampouco meio termo. Ou você confessa a Jesus como Senhor ou o desconsidera.

 

Em qual dos grupos de personagens você se encaixa? Saiba que toda a vez que você despreza a Jesus, ou nega dar a sua vida a Ele, você o está “crucificando novamente”(Heb.6:6b). Nós estamos diante da maior prova de amor que esse mundo já viu: a cruz de Cristo. Agora quero lhe perguntar uma coisa: qual será sua resposta a este amor de Deus por você?

 

Pr.Sergio Dusilek

[ TEXTO PUBLICADO NA REVISTA DIÁLOGO E AÇÃO DO 3o Trimestre de 2008 da JUERP DA CBB]

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: